Home > Associados
Associados > O combate a gripe A

A DENTALPAR, preocupada com o aumento do nmero de casos da Gripe A (H1N1), est enviando nota de esclarecimento, a fim de informar a todos sobre as formas de contaminao e preveno e evitar que o vrus se dissemine entre os cirurgies-dentistas e a populao. Por se tratar de uma doena que j est circulando no pas e que a cada dia novos casos so notificados, estamos disponibilizando o site do Ministrio da Sade e de outras instituies nacionais e internacionais, para que nossos colegas possam acompanhar de perto as notcias sobre a Gripe H1n1.

O QUE

uma doena respiratria aguda (gripe), causada pelo vrus A (H1N1). Este novo subtipo de influenza transmitido de pessoa a pessoa principalmente por meio da tosse ou espirro e de contato com secrees respiratrias de pessoas infectadas.

COMO PREVENIR

  • Evitar locais fechados e aglomeraes
  • Lavar as mos com frequncia, usando gua e sabo
  • Procurar no tocar a boca, nariz e olhos

Tem cura?

Sim. Tratamento com antivirais, que devem ser tomados s por recomendao mdica. Dois deles, Tamiflu e Relenza, so eficazes se tomados logo aps os primeiros sintomas.

Grupos de risco

  • Idosos acima de 60 anos de idade
  • Crianas com menos de 2 anos de idade
  • Gestantes, diabticos, cardacos, pacientes com cncer, com aids e anemia
  • Obesos e doentes pulmonares crnicos

Compare os sintomas


Sites que trazem informaes sobre a gripe A

Disque Sade: 0800-61-1997

Portal Oficial sobre Influenza

portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1534

SITES OFICIAIS NACIONAIS

Informaes aos viajantes na Anvisa

www.anvisa.gov.br/viajante

Ministrio da Sade

www.saude.gov.br

Plano de Preparao para o Enfrentamento da Pandemia de Influenza (Nota Tcnica Influenza A(H1N1)/Ministrio da Sade)

portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/plano_flu_final.pdf

Secretaria de Vigilncia em Sade

www.saude.gov.br/svs

Centro de Vigilncia Epidemiolgica da Secretaria de Estado da Sade/SP

Organizao Mundial da Sade (em ingls)

www.who.int/csr/disease/swineflu/en/index.html

Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria

www.anvisa.gov.br

Organizao Panamericana de Sade (em espanhol)

new.paho.org/hq/index.php?lang=es

Procedimento em relao aos pacientes

Segundo o Prof. Dr. Marcos Boulos, diretor da Faculdade de Medicina da USP, os cirurgies-dentistas devem tomar algumas providncias em sua atividade profissional a fim de evitar que a Gripe A se propague. As orientaes foram dadas a pedido do presidente do CROSP, Dr. Emil Adib Razuk.

Quais as aes que o cirurgio-dentista deve adotar em sua clmica rotineira, face epidemia da Influenza A?

Resposta - As aes so as que rotineiramente o cirurgio-dentista j executa: usar mscara e luvas no atendimento.

Quais as aes que o cirurgio-dentista deve adotar se for procurado por um pacietne com sintomas de gripe?

Resposta - Solicitar que no venha ao consultrio enquanto estive gripado.

Em relao biossegurana e equipamentos de proteo individual, qual a orientao que o cirurgio-dentista deve seguir? Em relao s mscaras, qual deve ser a conduta?

Resposta A mscra deve ser utilizada durante o tratamento, pois o contgio inicia-se antes dos sintomas tpicos da doena. Como o vrus pode permanecer algumas horas em superfcies, lembrar sempre de lavar as mos com frequncia.

No caso de atender um paciente com queixas caracterstiicas da Influenza tipo A, quais as aes adotadas pelo cirurgio-dentista?

Resposta No atender o paciente, sugerir que o mesmo permanea em repouso at o desaparecimento dos sintomas e, se por ventura apresentar falta de ar ou se a febre se prolongar, procurar assistncia mdica.

IMPORTANTE: O CROSP recomenda que o cirurgio-dentista use mscaras utilizadas normalmente para a proteo contra o bacilo da tuberculose.

voltar


Na rea restrita voc encontra:


DENTALPAR - CRO 4418
RESPONSVEL TCNICO:
Armando Rodrigues Filho
CRO 31 426